sábado, 7 de novembro de 2015

Formação de Acordes (CATEGORIA DOS ACORDES)

O que é um acorde? Acordes são notas tocadas simultaneamente, notas estas que definem a categoria do acorde. Um acorde de duas notas se chama díade, um acorde de três notas se chama tríade e um acorde de quatro notas se chama tétrade,.

CATEGORIA DOS ACORDES

1- Acordes maiores
Os acordes maiores se caracterizam por serem formados pelas seguintes notas: Tonica, terça maior, quinta justa e nunca possuem a sétima menor. Ou seja: uma terça maior sobreposta de uma terça menor.
Exemplo:
C C7M

2- Acordes menores
Os acordes menores se caracterizam por serem formados pelas seguintes notas: Tonica, terça menor e quinta justa. Ou seja: uma terça menor sobreposta por de uma terça maior
Exemplo:
Cm Cm7

3- Acordes de sétima da dominante
Os acordes de sétima da dominante se caracterizam pelo trítono formado entre a terça maior e a sétima menor (3ª e 7ª são os pilares de qualquer acorde). O trítono é o intervalo entre duas notas separadas por três tons, este intervalo de notas gera uma tensão no acorde que sugere uma resolução em outro acorde. Veremos este assunto adiante Exemplo:
G7

4- Acordes meio diminutos (depois veremos os diminutos)
Os acordes meio diminutos se caracterizam por serem formados pelas seguintes notas: Tonica, terça menor e quinta diminuta. Ou seja: duas terças menores sobrepostas.
Exemplo:
C° D°

4- Acordes aumentados
Os acordes aumentados se caracterizam por serem formados pelas seguintes notas: Tonica, terça maior e quinta aumentada. Ou seja: duas terças maiores sobrepostas.
Exemplo:
C+ D+

5- Categoria de acorde de sétima da diminuta
Caracteriza-se pela terça menor, quinta diminuta e sétima diminuta. É construído diatonicamente sobre o VII grau da escala menor harmônica, grau este de função dominante. Caracteriza-se, também, pela presença de dois trítonos.

Pelo fato das notas do acorde de sétima diminuta estarem separadas por intervalos de terça menor (dividindo a oitava em quatro partes iguais) um mesmo acorde de sétima diminuta pode ser desdobrado em quatro, isto é, cada uma das quatro notas pode ser a fundamental de um novo acorde de sétima diminuta, mantendo o som e sendo portanto acordes equivalentes.
B° D° F° Ab°
As fundamentais dos acordes estão separadas por intervalos de terça menor.
São três os acordes de sétima diminuta (B°, C° e Db°). Os demais são inversões ou desdobramento desses três.
Curiosidade: O círculo "O" na cifra do acorde de sétima diminuta simboliza o círculo fechado resultante da superposição das três terças menores que formam o acorde diminuto, razão pela qual cada uma das quatro notas pode ser a fundamental de um novo acorde diminuto, como pode ser visto na figura acima.
O acorde VIIm7(b5) é popularmente conhecido como meio-diminuto por ter a sétima menor no lugar da sétima diminuta. Também pode ser grafado com um círculo cortado ao meio "Ø". É mais fácil chamá-lo de meio-diminuto ao invés de menor com sétima e quinta diminuta.

Então aprendemos que:
O que difere um acorde maior de um menor é a terça. Uma terça maior caracteriza um acorde maior, uma terça menor caracteriza um acorde menor.
O que difere um acorde diminuto de um aumentado é a quinta. O resto das notas são as dissonâncias. Notas que acrescentamos aos acordes para acentuar-lhes alguma característica.
Veja este quadro resumo

Acorde
Notas que Compõem
Exemplo
Acorde
Maior
I + IIIM + VJ
C + E + G
C
Menor
I + IIIm + VJ
C + Eb + G
Cm
Aumentado
I + IIIM + VAum
C + E + G#
CAum (C5+)
Diminuto
I + IIIm + VO
C + Eb + Gb
CO
Sétimo
I + IIIM + VJ + VIIm
C + E + G + Bb
C7

Como exercício aplique estas regras às escalas que já estudamos e monte os acordes correspondentes.
Um exercício muito bom é fazer o caminho reverso: Pegar umas cifras bem complicadas e identificando os intervalos das notas dê nome aos acordes.
É preciso praticar muito!!!
Monte os acordes no instrumento! Agora você já é capaz.

Nenhum comentário: